5 razões para obedecer os 10 mandamentos ainda hoje

Obediência importa

Os dez mandamentos não devem ser ignorados. É importante que os estudemos e compreendamos. Mas, é claro, é mais importante que nós os obedeçamos. Deus não fica impressionado com uma análise intelectualmente cuidadosa que coloca o Decálogo no centro do discipulado cristão. Ele espera que os discípulos realmente sigam esses mandamentos.

Mas pelas razões certas.

Trabalhar duro para obedecer aos Dez Mandamentos com a motivação errada e com o objetivo errado é uma maneira infalível de viver nosso relacionamento com Deus de maneira errada.

Deus deu os mandamentos para que eles fossem obedecidos – não para ganhar a salvação, mas por causa de quem somos, quem é Deus em si mesmo, quem Ele é para nós, onde estamos e o que Ele fez.

Razão 1: quem somos

Não perca o óbvio: Êxodo 19 vem antes de Êxodo 20. Deus já identificou os israelitas como “um reino de sacerdotes e uma nação santa” (Êxodo 19:6). Eles são pessoas separadas. O mesmo é verdadeiro conosco. Como cristãos, nós também somos um reino de sacerdotes e uma nação santa (1 Pe 2:9).

Precisamos estar preparados para sermos deixados sozinhos, para parecer diferente e ter regras que o mundo não entende. Claro, nem sempre somos as pessoas santas que deveríamos ser, mas é o que Deus nos chamou para ser. É quem somos.

Somos o povo de Deus, separados para viver de acordo com os caminhos de Deus.

Razão 2: quem é Deus em si mesmo

Os versículos de abertura em Êxodo 20 não são apenas preenchimento antes que os mandamentos comecem a ser ordenados. Eles estabelecem quem é Deus e por que devemos obedecê-Lo. No verso 2, Deus se revela novamente como “o Senhor”, isto é, como o Senhor, seu Deus que guarda a aliança. Este é o Deus que falou com Moisés na sarça ardente. Este é o Deus que disse: “Eu sou quem eu sou” (Ex. 3:14). Este é o Deus Criador Soberano, Auto-Existente, Auto-Suficiente e Todo-Poderoso. Este é o Deus das pragas e do Mar Vermelho e do maná no deserto. Este não é um Deus com quem brincar. Se existe um Deus, e se Ele é algo como o Deus que nos é revelado nas Escrituras, então seria extremamente presunçoso, tolo e (por todas as razões) perigoso para nós reunirmos nosso próprio código ético.

A lei é uma expressão do coração e do caráter do Legislador. Devemos pensar sobre isso antes de dizermos: “Eu não me importo com as leis” ou antes de nos arrepiarmos com a idéia do que “fazer” e “não fazer”. Os mandamentos não apenas nos mostram o que Deus quer; eles nos mostram como é Deus. Eles dizem algo sobre sua honra, seu valor e sua majestade. Eles nos dizem o que importa para Deus. Não podemos desdenhar a lei sem desrespeitar o Legislador.

Somos o povo de Deus, separados para viver de acordo com os caminhos de Deus.

Razão 3: quem é Deus para nós

O Deus dos Dez Mandamentos é revelado não apenas como o Senhor, mas como o “Senhor seu Deus” (Êxodo 20:2). Somos sua possessão estimada (Êxodo 19:5; 1Pe 2:9). Este Deus de poder absoluto não é um tirano caprichoso, nem uma divindade mal-humorada que exerce autoridade crua e desenfreada sem qualquer consideração por suas criaturas. Ele é um Deus pessoal, e em Cristo ele sempre é por nós (Rm 8:31). Seria assustador até o ponto da morte se Deus trovejasse dos céus: “Eu sou o Senhor!” Mas a auto-revelação divina não para por aí. Ele continua acrescentando: “… seu Deus. ”Ele está do nosso lado. Ele é nosso pai. Ele nos dá mandamentos para o nosso bem.

Razão 4: Onde estamos

A definição bíblica de liberdade não é “fazer o que você quiser”. A liberdade é aproveitar os benefícios de fazer o que devemos. Muitas vezes pensamos que os Dez Mandamentos nos restringem – como se os caminhos de Deus nos mantivessem em servidão e nos impedissem de realizar nossos sonhos e alcançar nosso potencial. Esquecemos que Deus quer nos dar vida abundante (João 10:10) e verdadeira liberdade (João 8:32). Suas leis como está escrito em 1 João 5:3, não são onerosas.

Você acha que é oneroso ter dez mandamentos? Você sabe quantas leis existem nos Estados Unidos? É uma pergunta complicada, porque ninguém sabe! Há vinte mil leis nos livros que regulam a posse de armas. Em 2010, cerca de quarenta mil novas leis foram adicionadas em vários níveis em todo o país. O Código dos Estados Unidos, que é apenas uma contabilidade de leis federais e não inclui estatutos reguladores, tem mais de cinquenta volumes. Em 2008, um comitê da Câmara pediu ao Serviço de Pesquisa do Congresso para calcular o número de infrações penais na lei federal. Eles responderam, cinco anos depois, que lhes faltavam recursos humanos e ferramentas para responder a essa pergunta.

Razão 5: o que Ele fez

Deus não está tentando nos esmagar com burocracia e regulamentos. Os dez mandamentos não são barras de prisão, mas leis de trânsito. Talvez existam alguns anarquistas por aí que pensam: “O mundo seria um lugar melhor sem nenhuma lei de trânsito”. Alguns de nós dirigimos como se fosse assim! Mas mesmo que você fique impaciente quando estiver em um sinal vermelho. No geral, você não está feliz com a aparência de lei e ordem? As pessoas param e vão. As pessoas diminuem a velocidade ao dirigir pelas escolas. Eles param para os ônibus escolares. Você não seria capaz de dirigir seu carro até o supermercado sem leis. Quando você dirige em uma passagem de montanha, você amaldiçoa as grades de proteção que o impedem de mergulhar para uma morte prematura? Não, alguém os coloca lá com grande despesa, e para nosso bem, para que possamos viajar livremente e com segurança.

Os dez mandamentos não são instruções sobre como sair do Egito. São regras para um povo livre ficar livre.

Por Kevin DeYoung

Artigo original: https://www.crossway.org/articles/5-reasons-to-obey-the-10-commandments/

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *