Carne suína: pura ou impura?

Em Levítico 11, encontramos regras, critérios, leis acerca das carnes que podemos ou não ingerir. Porém muitos cristãos, de diversas denominações, defendem o uso da carne de porco na alimentação, alegando eles, que Jesus purificou a mesma; fazem isso usando passagens isoladas, nas Escrituras, e sem observar cuidadosamente o contexto de tais passagens.

Mas se em Levítico 11, Deus deu através de Moisés e Arão, as leis alimentares nos informando as carnes que podemos ou não comer, e o critério correto para escolher entre as puras e impuras, porque muitos cristãos afirmam que Jesus purificou a carne de porco?

Se Jesus fez mesmo isso, porque não purificou também, a carne da lebre, dos répteis, da águia, do urubu, dos camelos, dos animais que vivem no fundo do mar, como a lagosta, o siri, o caranguejo, entre outros, para que pudéssemos incluí-las também, no nosso cardápio?

Se nessas leis alimentares existentes em Levítico 11 o próprio Deus proibiu o ser humano de comer certas carnes, porque somente a do porco, Jesus teria purificado?

As passagens utilizadas por muitos cristãos, para reforçar o que dizem e ensinar que podemos ingerir carne de porco, pois supostamente fora purificada por Jesus, são:

Mateus 15:11: “não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai pela boca, isto, sim, contamina o homem.”

Ora, se isso for levado ao pé da letra, então Jesus está dizendo que podemos comer de tudo, e não seremos contaminados; porém tenha em vista que, veneno entra pela boca e não só contamina, mas pode matar, por isso não podemos levar tal passagem ao pé da letra.

No verso 15, Pedro se aproxima de Jesus e pede que lhe explique a “parábola”.
Quando se lê a Bíblia, todos sabemos que “parábolas” não devem ser interpretadas ao pé da letra, pois são compostas por ilustrações, metáforas, o mesmo vale para profecias, que são compostas de simbologias; perceba que a palavra usada por Pedro, é justamente a palavra “parábola”.

Isso quer dizer, que Jesus não está falando nada a respeito de alimentação, alimentos puros ou impuros.
O que nos esclarece isso, é a explicação dada a Pedro, por Jesus, nos versos 18 e 19:

18 – “Mas o que sai da boca vem do coração e é isso o que contamina o homem.”
19 – “Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias.”

Jesus está falando de ORAÇÃO. Não é só o que conversamos com Deus que é uma oração, mas também tudo o que falamos (oração verbal), pensamos (oração mental), escrevemos (oração escrita), no decorrer de todos os dias e momentos da vida; cada palavra é uma oração. Sabemos também que oração tem poder, pois veja o que está escrito na Bíblia, a respeito da oração:

Salmos 107:28 ao 30:
“Na sua aflição, clamaram ao Senhor,
e ele os tirou da tribulação
em que se encontravam. Reduziu a tempestade a uma brisa
e serenou as ondas. As ondas sossegaram, eles se alegraram,
e Deus os guiou ao porto almejado.”

Mateus 7:7:
“Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta.”

Mateus 21:12:
“E tudo o que pedirem em oração, se crerem, vocês receberão”.

Marcos 11:24:
“Portanto, eu digo: Tudo o que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam, e assim sucederá.”

João 14:13 e 14:
“E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no Filho. O que vocês pedirem em meu nome, eu farei.”

Marcos 9:29:
“Ele respondeu: “Essa espécie só sai pela oração e pelo jejum.”

Atos 9:40:
“Pedro mandou que todos saíssem do quarto; depois, ajoelhou-se e orou. Voltando-se para a mulher morta, disse: “Tabita, levante-se”. Ela abriu os olhos e, vendo Pedro, sentou-se.”

Tiago 5:14 ao 16:
“Entre vocês há alguém que está doente? Que ele mande chamar os presbíteros da igreja, para que estes orem sobre ele e o unjam com óleo, em nome do Senhor. A oração feita com fé curará o doente; o Senhor o levantará. E, se houver cometido pecados, ele será perdoado. Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz.”

Efésios 6:18:
“Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.”

Filipenses 4:6 e 7:
“Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.”

Essas são algumas passagens que demonstram o poder da oração e também de tudo o que falamos.

Então tudo o que falamos, escrevemos, pensamos, tem poder; é por isso que Jesus nos alerta através da passagem em Marcos 11 que devemos tomar cuidado com o que falamos, frear, segurar, domar a língua, pois não prejudica aos outros, mas a nós mesmos, quando falamos coisas ruins, pois (…)”o que sai pela boca vem do coração”(…).

Jeremias 17:9: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer?”

Se em Mateus 15, Jesus estivesse “purificando os alimentos” que Deus dissera em Levítico 11 serem impuros, estaria Jesus, anulando as leis alimentares dadas por Deus.

Outra passagem muito utilizada como meio de autorizar o consumo da carne de porco, é aquela conhecida como “a visão do lençol” em Atos 10 a partir do verso 11, onde um anjo ordenara a Pedro que comesse (…)”de todos os animais quadrúpedes, e feras e répteis da terra, e aves do céu”:

11 – E viu o céu aberto, e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, e vindo para a terra.

12 – No qual havia de todos os animais quadrúpedes e feras e répteis da terra, e aves do céu.

13 – E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro, mata e come.

14 – Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda.

15 – E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou.

16 – E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se ao céu.”

Como vemos, o diálogo entre Pedro e o anjo, se repetiu três vezes, até que (…)”o vaso tornou a recolher-se ao céu.” Não vemos escrito em lugar nenhum que Pedro aceitou, matou e comeu da carne de animal nenhum. É preciso analisar cuidadosamente, o contexto e não apenas uma passagem isolada; fazendo isso, perceberemos que nada ali dizia respeito a alimentos de qualquer natureza. Tratava-se de uma passagem simbólica onde Deus estava dizendo a Pedro que pregasse a todos que quisessem ouvir, o que era proibido a um judeu, que fizesse, como é visto no verso 28:

“E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo.”

Ou seja, qualquer judeu que se ajuntasse ou se chegasse a um estrangeiro, era considerado impuro; Deus mostrou a Pedro na “visão do lençol” que isso não deveria acontecer, que não deveria haver essa separação. Se Jesus tivesse mesmo purificado o porco Por que Pedro continuava sendo firme aos princípios de saúde judaicos mesmo tanto tempo depois da ressurreição de Cristo?

COMER DE TUDO QUE SE VENDE NO AÇOUGUE?

Mais uma passagem interpretada de forma errada por muitos cristãos, na busca por autorizações quanto ao consumo da carne suína, dentro da Bíblia, está em 1 Coríntios 10:25:

“Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência.”

Primeiramente, dificilmente uma pessoa come de tudo quanto se vende no açougue; tal passagem não nos dá permissão para consumir carne de porco, mas fala a respeito do consumo de carnes sacrificadas aos ídolos, como consta no verso 28:

“Mas, se alguém vos disser: Isto foi sacrificado aos ídolos, não comais, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque a terra é do Senhor, e toda a sua plenitude.”

O debate ali, fala era sobre essas carnes poderem ou não serem ingeridas, visto que eram sacrificadas aos ídolos e depois eram comercializadas no mercado.

Paulo nos alerta sobre o seguinte, no verso 32:

“Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus”.

O que ele está dizendo aqui é, para termos cuidado ao demonstrar a nossa posição para com os fracos na fé. Em lugar nenhum encontramos permissão para o consumo da carne de porco.

TUDO O QUE DEUS CRIOU É BOM

Sim, tudo o que Deus criou é bom, como está escrito em Gênesis 1:21.

Em 1 Timóteo 4:4 e 5 está escrito:

“Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças.

Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada.”

Uma leitura descuidada e superficial, dessa passagem nos leva a entender que basta uma oração sobre algum alimento e o mesmo é facilmente purificado. Porém, observando o contexto, vemos que nenhum animal é citado, nenhum alimento; uma interpretação sem atenção, nos leva a interpretações absurdas e até perigosas.

De fato, e é claro, que tudo o que Deus criou é bom; mas é bom para fazer aquilo para o qual foi designado, projetado. Por exemplo: o urubu é bom para limpar carniça, o porco é bom para limpar a terra, o caranguejo (entre outros frutos do mar) são bons para limpar o fundo dos mares e oceanos; mas nenhum deles é bom para o consumo, para a alimentação.

Mas então porque Deus deixou as leis alimentares de Levítico 11?

A resposta está em Levítico 11:43 ao 45:

43 – “Não vos façais abomináveis, por nenhum réptil que se arrasta, nem neles vos contamineis, para não serdes imundos por eles;

44 – Porque eu sou o Senhor vosso Deus; portanto vós vos santificareis, e sereis santos, porque eu sou santo; e não vos contaminareis com nenhum réptil que se arrasta sobre a terra;

45 – Porque eu sou o Senhor, que vos fiz subir da terra do Egito, para que eu seja vosso Deus, e para que sejais santos; porque eu sou santo.”

Portanto, sim, os animais imundos contaminam quem os come; não era uma questão de ritual, ou seja tais carnes sempre foram impuras em si mesmas, não eram os rituais que as contaminavam. A justificativa bíblica é que Israel não deveria se contaminar com esses animais, mas sim, ser Santo assim como Deus é Santo; deveria refletir a imagem e semelhança de Deus, e Ele é Santo: assim como um é, o outro deveria ser também.

Deuteronômio 14:2 e 3:

2 – “Porque és povo santo ao Senhor teu Deus; e o Senhor te escolheu, de todos os povos que há sobre a face da terra, para lhe seres o seu próprio povo.

3 – Nenhuma coisa abominável comereis.”

Eis acima, mais uma advertência de Deus para que o Seu povo, não se contamine com os animais impuros.

Leia do verso 4 ao 21, e verá que, mais uma vez Deus nos lembra das leis alimentares.

“A justificativa não está na saúde de Israel, nem na impureza ritual dos animais, mas na distinção do povo hebreu: era o povo consagrado ao Senhor, separado, tesouro pessoal do Altíssimo. Dentre TODOS os povos da terra, Israel era especial. Isso deveria refletir na alimentação.”

No verso 20, de Deuteronômio 11, Deus diz:

“Todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés, será para vós uma abominação.”

E no verso 21 e 22:

“Mas isto comereis de todo o inseto que voa, que anda sobre quatro pés: o que tiver pernas sobre os seus pés, para saltar com elas sobre a terra.

Deles comereis estes: a locusta segundo a sua espécie, o gafanhoto devorador segundo a sua espécie, o grilo segundo a sua espécie, e o gafanhoto segundo a sua espécie.”

Deus nos permite comer gafanhotos, e a característica apontada para saber diferenciá-lo dos outros insetos é que possui pernas articuladas para saltar, porém, no verso seguinte:

23 – “E todos os outros insetos que voam, que têm quatro pés, serão para vós uma abominação.”

Ou seja, todos os outros que não possuem pernas articuladas para saltar, não podemos comer.

Deus não aceita meio termo, o animal, para poder ser ingerido precisa ter ambas as características mostradas por Deus; deve ter as unhas fendidas e ruminar. Se for ruminante mas não tiver casco fendido, como a lebre por exemplo, então estamos proibidos de comer, se tiver casco fendido mas não ruminar. como é o caso do porco, então não podemos ingerir tal carne.

Pense nisso quando estiver diante de tais alimentos impuros; e que o Espírito Santo fale através da sua consciência, te guiando e lembrando a respeito do que Deus nos permitiu e o que não nos permitiu comer.

Até o próximo post;
Abraços.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *