Existe uma verdade absoluta, ou tudo é relativo?

Muitas questões nos cercam, precisamos de uma base absoluta para resolvê-las.

Você já parou para pensar, se existe uma única verdade absoluta, ou se a verdade é relativa, e cada ser humano constrói a sua verdade e se baseia na mesma como regra de vida?

De um modo geral, algo que uma pessoa ou grupo de pessoas considera ser a verdade, para outras pode ser mentira ou pode haver também, opiniões e pontos de vista em comum. Logo, podemos observar que a “verdade” pode variar de uma pessoa para outra, de um grupo de pessoas para outro grupo, de uma cultura para outra, de um povo para outro, de uma nação para outra; se isso acontece, então não existe uma verdade absoluta, tudo é relativo?

O problema com a teoria do relativismo é que, o que pode ser verdade para algumas pessoas, pode não ser verdade para outras (a própria afirmação em si, já é uma afirmação relativa), ou seja, é verdade hoje, mas pode não ter sido verdade no passado e pode não ser novamente no futuro – sempre está sujeita a mudança. Tal teoria também está sujeita à perspectiva das pessoas.

A essência do relativismo é que cada pessoa pode decidir o próprio padrão para o certo e o errado, algo que é moralmente certo para mim pode estar errado para outro, é como se a definição de “verdade” fosse mudando de acordo com as pessoas e seus costumes e tudo o que acontece com cada uma delas em suas vidas. Tal verdade está então relacionada ao cotidiano e a cultura das pessoas.

Enquanto que se existe uma verdade absoluta, essa verdade é imutável, ela é verdade todo o tempo em todos os lugares, para todas as pessoas, independente da cultura, etnia, época, a verdade é uma só.

Mas como descobrir se a verdade é absoluta ou relativa?

Para descobrirmos esta verdade é necessário um ato de fé. Crer que a Bíblia é a Palavra de Deus com sotaque humano.

Como depositar a minha fé, meus atos, minha vida em uma verdade supostamente absoluta que rege o mundo todo, mesmo diante do relato de muitas e muitas outras “verdades”?

 Podemos observar a historicidade dos relatos Bíblicos, em descobertas arqueológicas e científicas de forma inegável, veja alguns deles:

  • Parede do Rei Salomão:

A parede do rei Salomão, mencionada em 1 Reis 6:1 ao 14, ainda no Antigo Testamento, fala sobre uma muralha, construída por ordem do rei Salomão, em Jerusalém. Esse é um dos fatos da Bíblia que se confirmaram verdadeiros, pela Arqueologia.

A descoberta aconteceu em 2010, quando uma parte dessa gigantesca construção foi encontrada, durante as escavações conduzidas pela Universidade Hebraica de Jerusalém. Conforme os registros da descoberta, a muralha conta com um guarita de segurança e tem 70 metros de comprimento por 6 metros de altura. Foi encontrada também uma inscrição dos tempos do Rei Salomão.

  • Cidadela da Primavera:

Um dos fatos da Bíblia já confirmados pela Arqueologia é a existência da Cidadela da Primavera. Na Bíblia Sagrada, ela é mencionada na passagem do segundo livro de Samuel no capitulo 5 versículo 6 ao 9 como conquistada pelo rei Davi, e é o local onde Salomão foi ungido rei.

Na vida real, a cidadela bíblica foi encontrada na Cidade de Davi, principal sítio arqueológico de Jerusalém, e que já vinha sendo escavado há 20 anos. Segundo os arqueólogos, o local foi construído para proteger a água da Fonte do Giom de possíveis conquistadores e para proteger as pessoas que iam até ali para beber água.

  • Reservatório de Siloé:

Em 2005, encanadores acabaram encontrando, em Jerusalém, uma reserva de água. Estudiosos foram notificados do achado, tomaram parte da escavação e concluíram, no final das contas, que se tratava do Reservatório de Siloé (Siloé significa ENVIADO).

Na Bíblia Sagrada, esse reservatório é citado no livro de João 9:1 ao 12, e é dele que Jesus Cristo coleta água para curar os olhos de um cego de nascença. Até alguns anos atrás, a Ciência não acreditava que esse poderia ser um lugar real, apenas mais um simbolismo bíblico, mas o Reservatório de Siloé estava exatamente no local descrito por João.

  • Pedra de Pôncio Pilatos

 E não é diferente com os personagens citados pelas Escrituras Sagradas. Em 1961, arqueólogos descobriram a primeira evidência física que Pôncio Pilatos existiu no passado.

Essa pedra que ficou conhecida como “Pedra de Pôncio Pilatos” foi encontrada durante as escavações de um teatro construído por Herodes, em Cesaréia, Israel. De acordo com os estudiosos, as inscrições da pedra significam: “Pôncio Pilatos, prefeito da Judéia, a dedica”.

Leia mais sobre as evidências apresentadas acima:

http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2015/07/5-evidencias-cientificas-que-dao-sentido-episodios-da-biblia.html

http://www.ciencia-online.net/2013/07/descoberta-inscricao-do-tempo-do-rei-salomao.html

Jesus nos disse que veio para testemunhar da verdade e que aqueles que são da verdade o ouvem, como vemos escrito em João 18:37:

37-Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.

A Bíblia em suas passagens nos revela fatos que são verdadeiros; eles estão registrados na história:

Mateus 24:2:

2-Ele porém, vos disse: Não vedes tudo isto?Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.

Nesta passagem, Jesus previu a destruição de Jerusalém:

Por volta do ano 70 d.C a cidade de Jerusalém foi invadida e destruída por tropas romanas. Liderados pelo Imperador Tito, sitiaram e conquistaram a cidade, que havia sido ocupada por defensores judeus em 66 d.C. A cidade e o Templo foram destruídos em 70 d.C. Foi o primeiro evento da guerra Judaico-romana.

Como foi o cerco romano a Jerusalém?

http://imperioroma.blogspot.com.br/2010/03/cerco-de-jerusalem.html

Nos detendo dentro da própria Bíblia, também encontramos fatos demonstrando e provando pela fé, que as coisas escritas, são verdades absolutas e não devem ser relativizadas, nem dependem do nosso entendimento:

Em Marcos 11:13-14 Jesus amaldiçoa uma figueira, ao passar por ela acompanhado dos discípulos, indo para Jerusalém:

13-E, vendo de longe uma figueira com folhas foi ver se nela, porventura, acharia alguma coisa. Aproximando-se dela, nada achou, senão folhas; porquê não era tempo de figos.

14-Então disse-lhe Jesus: Nunca jamais coma alguém fruto de ti! E seus discípulos ouviram isto.

E quando voltaram pelo mesmo caminho, a figueira estava morta, seca, nos versículos de 20 ao 22, no mesmo capítulo:

20-E passando eles pela manhã, viram que a figueira secara desde a raiz.

21-Então, Pedro, lembrando-se, falou: Mestre, eis que a figueira que amaldiçoaste secou.

22-Ao que Jesus lhes disse: Tende fé em Deus;”(…)

A Bíblia, desde as diferentes épocas em que foi escrita, também narra coisas que só vieram a acontecer nos dias de hoje, como por exemplo:

 Mateus 24:6 ao 12;

6-E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é necessário que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.

7-Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.

8-Mas todas estas coisas são o princípio de dores.

9-Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas nações as por causa do meu nome.

10-Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.

11-E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos.

12-E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.

Em 2 Timóteo 3-1 ao 5:

1-Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis,

2-pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes,

3-desafeiçoados, caluniadores, implacáveis, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem,

4-traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus,

5-tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes.

A Bíblia Sagrada, que contém a Palavra de Deus e é uma das colunas da verdade, ao contrário de todo e qualquer outro livro já escrito, é o único livro que apresenta fatos, que não apenas são reais, mas que sempre se cumpriram e continuam se cumprindo ao longo da história da humanidade; mas isso só acontece, porque os homens que contribuíram para que fosse escrita, não fizeram isso baseando-se em seu próprio entendimento, mas sim, foram inspirados por Deus, eles creram, não duvidaram e se entregaram sem reservas a essa missão, essa obra; outro fato interessante é que tais homens que a escreveram (e foram aproximadamente 40 escritores, e muitos deles sequer se conheceram, já que a Bíblia foi escrita num período de aproximadamente 1.600 anos e em 3 continentes diferentes), em NENHUM ponto, NENHUM versículo, a Sagrada Escritura se contradiz, mas sempre se confirma. Mesmo após várias tentativas de escondê-la, anulá-la, invalidá-la, por parte da humanidade, Deus a manteve conservada, completa e intacta, para que TODOS, sem exceção, soubessem e testemunhassem o que está escrito e que também pela fé, aconteceram e ainda acontecem.

 Em João14:6 Jesus afirma ser Ele mesmo, a verdade:

6-Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.

 “O pano de fundo histórico da Palavra de Deus é incontestável, o que faz de sua teologia um conteúdo que, no mínimo, deveria ser levado mais a sério.”

A Bíblia oferece uma promessa de felicidade para aqueles que lêem, que ouvem e que obedecem as coisas nela escritas:

Apocalipse 1:3: “Bem aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo.”

Romanos 6:23: Nos alerta: “(…)porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

João 3:16-17: Nos revela: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Porquanto Deus enviou seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele.”

Jesus veio ao mundo e morreu numa cruz, pagando o preço pelo pecado de TODA a humanidade, até o último ser humano que vai existir antes da sua segunda vinda, e por todos os pecados que cada um comete ao longo de toda a sua vida.

Deus nos conhece, sabe absolutamente TUDO sobre nós, pois é o nosso Criador; conhece as nossas lutas, limitações, falhas, por isso Ele promete: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32).

“Busque o conhecimento da verdade e Deus vai libertar você do mal, do pecado e da morte eterna, vai transformar sua vida, você será vitorioso, a pessoa mais feliz do mundo.”

 Saiba que assim como não existe uma coisa mais ou menos boa ou mais ou menos ruim, não existe meio termo, assim também é no mundo espiritual, só há dois caminhos: vida eterna ou morte eterna.

“Vivemos em um mundo onde o bem e o mal, o certo e o errado lutam pela supremacia. Há apenas dois lados nesse grande conflito espiritual. De que lado estamos? Esta é uma escolha de consequências eternas – porque a vida e a morte são, literalmente, eternas.” – Clifford Goldstein

Essa é uma decisão que deve ser tomada todos os dias ao acordar; que você e eu possamos decidir estar ao lado de Cristo diariamente e que Deus nos abençoe nas lutas a serem enfrentadas ao escolher Cristo. Mas lembre-se:

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” João 17:33.

Deixe seu comentário

3 thoughts on “Existe uma verdade absoluta, ou tudo é relativo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *